Relacionamento Familiar
Minha primeira vez. Prepara-se! É hora de conversar com os filhos

Minha primeira vez. Prepara-se! É hora de conversar com os filhos

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Todos sabem como é importante esta fase na vida do adolescente. Marca psicologicamente a transição do menino para o homem ou rapaz e da menina para a moça ou mulher. Minha primeira vez será o tema da nossa conversa de hoje para pais que precisam de ajuda para falar com seus filhos.

Mesmo que você ou eles não estejam preparados, acreditem: eles só pensam nisso. Vamos abordar abaixo as principais dúvidas e medos dos adolescentes que envolvem a primeira vez e te ajudar a se manter por perto para, mesmo que seja difícil, apoiá-los no que precisarem.

Como é a primeira vez

Para te ajudar a ajudar o seu filho é preciso primeiro que se lembre como foi a sua primeira vez. Saiba que de 10 pessoas, 9 relataram que a primeira vez não foi legal ou insatisfatória, ou ainda “sem graça”. E detalhe, a pergunta foi feita para homens e mulheres e fez com que muitos olhassem para o céu e dissessem um sonoro “SIM” para a pergunta: “Se pudesse você voltaria no tempo e faria de novo?”. Outro detalhe, 8 de 10 entrevistados esperariam um pouco mais pela primeira vez.

Segundo uma leitora: “Eu tinha 18 para 19 anos e a maioria, na verdade acho que todos os meus amigos já tinham se relacionado pela primeira vez. Uma amiga me disse “desesperada” que não podia passar dos 17. Nesta fase arrumei um namorado que nitidamente gostava mais de mim que eu dele. Após alguns meses de namoro planejamos nossa primeira vez para uma sexta de feriado na casa dele. Ele arrumou o quarto, pôs música (não me lembro, mas era uma baladinha rock) só que na hora não consegui relaxar e nada aconteceu. Doeu muito e acabei desistindo. Paciente, ele disse que talvez não fosse a hora e esperaríamos o momento certo. O momento aconteceu na segunda-feira de manhã entre abraços e carícias de despedida do feriado.”

primeira vez

Veja que terem planejado as coisas em detalhes só aumentou a pressão do momento e tudo desabou. O fato de o carinha ter sido carinhoso e compreensivo deu segurança a ela para tentar de novo, se soltar e deixar rolar.

É importante deixar claro que as coisas nem sempre são assim. Explicar que esperar o cara bacana é justamente isso, ter alguém que te respeite ao ponto de não forçar nada caso mude de ideia na hora H. O que, aliás, é bem normal.

O adolescente percebe o tempo de uma maneira diferente do resto da humanidade. Têm um imediatismo que é o responsável por cometerem besteiras. Para a primeira vez não é diferente. Quanto mais imaturo emocionalmente e quanto mais despreparado psicologicamente for, mais irá na “onda” dos outros e maior a chance de se machucar.

Acontece que este momento não é dos outros, é só dele. Pergunte a eles que tipos de lembranças gostariam de ter deste momento. É um momento íntimo muito importante que marca nossas vidas. Falamos com pessoas de todas as idades e ninguém, repito, ninguém tinha se esquecido da sua primeira vez. Alguns ainda tiveram a sorte do momento ser “legalzinho”, mas a maioria lamenta.

Se tiver filho adolescente, converse abertamente sobre o assunto. Quebre as barreiras da vergonha, se lembre se na sua época gostaria que sua mãe estivesse próxima a você. Ao seu lado ele ou ela, terá forças para não ceder as pressões e conseguir esperar até o momento certo.

O que fazer na primeira vez

Quem já passou por isso sabe que não existe receita. A própria história que escolhemos mostra que as coisas aconteceram totalmente contrárias ao planejado, ou seja, definir o que deve ser feito na hora não dá. Mas dá para se preparar para o momento.

E ouvindo várias histórias temos a certeza que esta preparação deve acontecer muito, mas muito tempo antes. Mães de adolescentes (meninos ou meninas) já deveriam sondar os filhos mesmo antes de estes anunciarem o namoro. Quando perceber que estão de namorico por aí, então é que o papo não pode ficar pra depois mesmo.

o que fazer na primeira vez

Pesquisas apontam que no Brasil a primeira relação acontece entre os 15 e 16 anos, o que na verdade é super precoce nos colocando no topo da lista junto com a Alemanha, Suécia e Islândia.

Segundo a Dra. Hália Pauliv, bióloga e autora de vários livros sobre sexualidade, como “Convivendo Com Seu Sexo” e “Sexo, Energia Presente em Casa e na Escola”. “O corpo das garotas atinge a maturidade com 18 anos, quando o útero se inclina e fica na posição perfeita para a experiência sexual”, explica.

O melhor a fazer é se comunicar e orientar. Para as meninas é recomendável que a leve em um ginecologista assim que perceber seu interesse pelo assunto. O especialista vai orientá-la e receitar o uso da pílula anticoncepcional que você deve incentivar não deixando que se esqueça de tomar. A pílula, além de prevenir a gravidez, ajuda a regular a menstruação.

Mesmo tomando a pílula, precisa explicar que ao se relacionar é muito, mas muito importante o uso da camisinha e que só assim poderá se prevenir das DST (doenças sexualmente transmissíveis).

Falando neste assunto, começou em março de 2014 a vacinação contra o vírus HPV (Human Papiloma Vírus) que é responsável pelo câncer de colo de útero. Para o contágio não é preciso penetração, basta o contato de pele com pele. Como ele se desenvolve nos três primeiros anos de vida sexual da mulher, as meninas devem ser vacinadas precocemente, (aos 9 anos de idade), muito antes do início da vida sexual para que estejam protegidas (informe-se com seu médico).

Além das providências fisiológicas citadas, se preparar para a primeira vez é pensar sobre o assunto. Converse com sua filha sobre o tipo de homem que quer ao seu lado, que deve saber escolher a pessoa e o momento certo e que não precisa ceder as pressões podendo adiar o quanto desejar. Mas o principal e mais difícil é que se diga que, chegado o momento, você estará ao lado dela para apoiá-la.

Os medos da primeira vez

Quando começar a conversar com seus filhos vai perceber que eles têm muitas perguntas e que este bate papo pode ser o início de uma grande amizade. Mantenha a calma, pois mesmo contra a sua vontade, seus bebês cresceram e vão continuar fazendo o que precisa ser feito. Quanto a você, precisa decidir se quer ou não fazer parte deste momento.

Se a resposta é sim, respire fundo, beba um ou vários copos de água e se prepare para a sabatina, pois vou te dizer, dúvida é o que não falta na cabecinha desta garotada.

A pergunta mais frequente entre as meninas é: “a primeira vez dói? E a resposta deve ser: “sim e não”. Perguntamos para várias mulheres em idades variadas se sentiram dor na sua primeira vez e notamos que quanto mais nervosas estavam, mais dores sentiram, ou seja, se estiver na hora certa com o parceiro certo, a dor que pode sim existir, será suportável.

Algumas têm dúvidas sobre o sangramento. “Algumas mulheres sangram, outras não sangram. Umas não sangram na primeira vez, mas vão sangrar na segunda ou na terceira. Outras só sangram muitas relações depois. E outras ainda não sangram nunca”, conta o ginecologista Eduardo Vieira da Motta, da Universidade de São Paulo em entrevista ao G1. Não dá para prever, mas é importante que saibam que pode acontecer e que não precisam ficar assustadas.

os medos da primeira vez

É possível engravidar na primeira vez? “Sim, é possível. Não só na primeira, mas na segunda, na terceira, na quarta e em qualquer relação sexual que ocorra de forma desprotegida”, explica a ginecologista especialista em adolescentes e adultos jovens, Arlete Gianfaldoni, doutora assistente do Hospital das Clínicas de São Paulo. A gravidez indesejada é o maior medo não só dos filhos, mas também dos pais. E para evitar, não tem jeito: informação e proteção sempre!

Algumas meninas ainda comentaram que sentem muita vergonha do corpo e outras têm medo sobre o quê os meninos possam espalhar sobre elas.

Em uma conversa aberta de mulher para mulher, é preciso dizer que a atração física e o amor estão muito além do estereótipo de beleza que vendem em blogs ou  canais do youtube que ela segue. Deixe claro que encontrando a pessoa certa, esta vai amá-la e respeitá-la do jeito que é. Que quando acontecer este momento será tão mágico que apesar de sentir vergonha antes, na hora ela desaparece.

Quanto a falarem dela, seja sincera e diga que isto pode sim acontecer caso não esteja com alguém legal. Babacas existem em todo lugar e em qualquer faixa etária. Sua filha está crescendo e é bom que ela saiba disso para ficar longe desses tipos.

A primeira vez para os meninos

Outro mito é achar que somente as meninas têm dúvidas e medos sobre como será a primeira vez. Alguns homens entraram na conversa e disseram que se sentiram muito nervosos.

Sabendo disso mãe, tire um tempinho e converse com ele também. Medos como: “será que eu vou dar conta?” “E se eu machucá-la?” “E se seu não conseguir?” podem perturbar as mentes dos seus garotos. Para eles também é importante que estejam preparados e com uma menina legal que possa acalmá-lo e que lhes deem segurança.

Os meninos são ainda mais pressionados para terem logo a sua primeira relação, então precisam de tanto apoio quanto as meninas para esperarem pelo momento certo.

E lembrem-se mamães: vocês estão criando homens. Ensine-os a tratarem as mulheres como gostaria de ter sido tratada :)

Um ótimo dia e nos vemos em breve.

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Facebook

Seja Uma Mulher De Sucesso

Produtos para bebês e crianças 70% mais barato?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×