Relacionamentos
Produtos para Revender – Crise? Que Crise?

Produtos para Revender – Crise? Que Crise?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Estamos mesmo vivendo um momento de crise: a cada dia recebemos a notícia que algum amigo ou conhecido foi demitido e vamos combinar, dependendo da profissão, a recolocação no mercado de trabalho está ficando cada vez mais difícil.

Nesta hora, muitas pessoas preferem dar o primeiro passo para a sua independência financeira (ou para ganhar uma renda extra) e escolhem produtos para revender, acreditando na facilidade do negócio. Mas escolher o produto errado pode não só ser frustrante como te levar exatamente para o lado contrário: o fracasso. Conheça alguns destes negócios e veja aqui o que melhor se encaixa as suas necessidades.

Produtos para Revender

Quando pensa em começar um negócio deve saber que tudo envolve a venda. E para que haja venda é necessário que alguém compre (básico). Mas aí começa a dificuldade: não dá para começar um negócio achando que basta vender 10 e o mês está garantido. Deve começar pensando “como faço para vender 10?”.

Produtos para Revender

Neste momento vai perceber que determinados produtos têm maior aceitação que outros. E, a não ser que ame desafios, deixo aqui uma dica: “escolha os produtos certos”.

Para escolher os produtos certos é preciso saber qual é o seu público: você vai vender em uma escola, colégio, faculdade, no trabalho ou diretamente na casa das pessoas? Essa turma é mais jovem, descolada ou mulheres mais formais, mães de família? Onde elas compram normalmente? Quanto gastam, o que gostam?

A partir deste momento você já traçou o perfil do seu cliente. Agora é adaptar os produtos a esta realidade e também a sua, já que as escolhas são fartas. O mercado oferece todos os tipos de produtos que vão do vestuário, lingeries, calçados, cosméticos, produtos para casa e até produtos digitais, como cursos online. Se vai vender pela internet, no trabalho ou se vai levar o produto até a casa da pessoa, o famoso porta-a-porta também precisa ser pensado.

De todos os produtos existentes, identificamos que os preferidos em vendas são as roupas, os cosméticos e os produtos importados. Vamos falar sobre eles então.

Revendendo roupas

Comprar roupas para revender é de verdade uma mina de ouro. Pelo menos é o que todos pensam. Afinal, basta comprar com preços baixíssimos e vender por preços altíssimos. Quem está na luta sabe que não é bem assim. O sucesso da revendedora de roupas depende do quanto ela é antenada com a moda e saber onde adquirir os melhores e mais baratos produtos, além, é claro, de conhecer bem os seus clientes. Ficar com mercadoria encalhada é o pior pesadelo de uma revendedora. Uma revendedora de roupas que conhece o tamanho do manequim de seus clientes e sabe o que gostam, não corre esse risco.

Revendendo Roupas

No quesito comprar mercadorias baratas é preciso “bater perna”. Em São Paulo, por exemplo, existem grandes centros comerciais que trabalham com atacado que são o Brás (bairro situado na região central da cidade onde várias ruas são tomadas por lojas e grandes atacadistas), a José Paulino (também na região do centro, mas no bairro da luz) e a 25 de março (próximo ao bairro São Bento e Sé).

Em todos, a variedade é enorme e precisa andar muito mesmo: não só para encontrar as mercadorias como também para negociar. Para quem está começando, comprar 6 peças de um determinado modelo é muita coisa, mas os fornecedores em muitos casos querem vender a partir de 12. Além disso, é preciso ficar de olho na qualidade que em muitos casos não anda junto com preço. Avalie suas compras de acordo com o perfil de seus clientes como já falamos acima. A vantagem aqui é que você pode basear o seu ganho em cima do preço da mercadoria e negociar diretamente. Pode vender de porta em porta ou fotografar e vender suas peças pela internet em um site próprio, no facebook, instagram e até whatszap. Para o cliente, a vantagem é a pronta entrega.

Para aquelas que não têm tempo para tanto esforço, uma boa dica é a venda por catálogo. Algumas marcas de roupas já aderiram a este movimento e disponibilizam seus modelos para escolha. Mas fique de olho!. Neste caso, você vai receber uma comissão em cima das vendas, o que vai limitar o seu ganho. Um detalhe é que a pessoa tem data para receber a mercadoria. Mas uma vantagem é que não precisa investimento, já que não é necessário comprar nada.

A própria Loja Marisa já oferta seus modelos em catálogos para quem quiser revender. Por ser uma marca conhecida das mulheres, em alguns casos, a aceitação é melhor. Para revender qualquer que seja a marca, é necessário acessar o site e conhecer melhor as regras além de preencher um cadastro.

Tem também as vendas em consignação. Neste caso, você vai até os fornecedores, escolhe as peças e as que não venderem pode devolver. São difíceis os lugares que oferecem esta opção, mas se conhece alguém que tem uma grande boutique pode, por exemplo, firmar um contrato de representação desta forma. Em alguns casos, o acerto é verbal devido a proximidade entre as partes.

Cuidado com os calotes. O mercado hoje oferece a possibilidade de trabalhar com cartão de crédito baixando o aplicativo da máquina direto no seu celular como é o exemplo da PagSeguro. Outras empresas também oferecem o serviço, basta pesquisar. Tudo para você evitar o famoso calote existente neste ramo.

Revenda de cosméticos

Uma super oportunidade neste meio são os cosméticos para revenda. Nestes casos a maioria é ofertada em revistas e ao contrário do que se pensa é necessário comprar os produtos que são vendidos. O lucro está justamente aí: você compra os produtos com descontos que variam de 25 a 40%, (dependendo o valor e a quantidade da compra, além, é claro, da marca com quem está trabalhando). Além dos descontos, as marcas oferecem premiações para quem atinge determinada pontuação ou quantidade de venda.

As marcas mais populares em vendas de catálogos são Avon, Natura, Jequiti e Mary Kay, sendo que esta última ganhou o mercado nacional não só pela qualidade dos seus produtos, mas principalmente por oferecer as suas revendedoras um plano de carreira.

Revenda de Cosméticos

Segundo as revendedoras, em poucos anos (de trabalho duro é claro), é possível ganhar a independência financeira. O diferencial é que você cadastra outras revendedoras e juntas vocês formam um grupo de vendas. A medida que “sobe” você ganha comissões em cima das vendas destas pessoas. O último degrau é o de diretora, e neste patamar, você não só ganha as comissões sobre as suas indicadas, como também das indicadas delas.

A empresa fala que não se trata de pirâmide e explica em seu site que “o grande diferencial da Mary Kay é oferecer às suas consultoras de beleza independentes um plano de desenvolvimento profissional estruturado, que possibilita que cada uma dessas mulheres seja dona de seu próprio negócio e responsável pelo seu desenvolvimento profissional e financeiro. A empresa possui programas de incentivo, que incluem materiais educacionais, bonificações, prêmios em joias, viagens internacionais e até o direito de uso de um carro cor-de-rosa, ícone da marca no mundo inteiro”.

Nestes casos de revenda por catálogo, a pronta entrega depende do estoque da revendedora que se puder, deve adquirir o máximo possível dos itens preferidos e oferecê-los aos seus clientes que já levam para casa na hora.

A característica mais importante para o sucesso das vendas de cosméticos é a propaganda da própria revendedora que deve ser a vitrine do seu produto, devendo conhecer a fundo como funciona e para que servem cada um, além de usá-los é claro. Para quem compra, este é um diferencial, afinal, quem não quer uma sessão de limpeza de pele ou dicas de maquiagem em casa? As mulheres que mais vendem são verdadeiras “experts” nestes assuntos e a venda se torna  uma consequência.

Produtos importados para revenda

Além das questões sobre fazer o que gosta ou trabalhar com os produtos que mais se identifica, o que mais atrai pessoas para um determinado mercado é a margem de lucro. É por este motivo que os sites como mercado livre estão bombando nas vendas de produtos importados, onde o  lucro pode chegar até a 300%.

Produtos Importados Para Revenda

A dificuldade aqui é que para vender é preciso importar. Existem dois grandes mercados de onde é possível adquirir produtos importados para revenda que são os Estados unidos e a China.

Antes de começar, o ideal é que se estude um pouco sobre importação para não ser pego de surpresa, já que estará lidando com um mercado diferente do nosso. Existem duas formas de importação: a simplificada e a importação formal ou corporativa.

Como Importar Os Melhores Produtos

A importação simplificada pode ser feita tanto por pessoa física quanto a  pessoa jurídica desde que os valores de compra não ultrapassem 3 mil dólares americanos por operação e neste caso não há necessidade de cadastro no RADAR/ Siscomex.

Já a importação corporativa é feita por empresas com o objetivo de revenda. É necessário o cadastro no RADAR/ Siscomex e os serviços de um despachante aduaneiro para auxiliar com a documentação.

No caso de optar pela revenda de produtos importados tenha em mente quais produtos vai vender. A oferta é enorme e não se especializar pode ser o primeiro passo para o fracasso.

Você pode optar por trabalhar com moda (vestuário e acessórios em geral), tecnologia, perfumaria entre outros.

Aqui a maior dificuldade é que para ter um bom estoque é preciso importar uma grande quantidade de itens e assim trabalhar com pronta entrega (já vimos acima que é um diferencial). Apesar dos preços serem atrativos, a demora da chegada das mercadorias impede que se façam grandes pedidos.

Alguns especialistas na área de importação orientam que no início do negócio o ideal é fazer pequenos pedidos em fornecedores diferentes e assim testar cada um deles avaliando o tempo de entrega, a qualidade do produto e o atendimento. Alguns são prestativos e respondem e-mails prontamente, outros nem tanto. A partir da confiança que fizer com o vendedor, aumente gradativamente o tamanho dos seus pedidos, respeitando sempre as regras da Receita Federal.

Para sucesso nas vendas destes produtos é necessário cuidado ao colocar os preços. Especialistas sugerem que os produtos devem ser vendidos pelo menos 20% mais baratos que no brasil. Outra dica é usar e abusar da internet para seus anúncios: sites de venda como mercado livre e OLX, perfis nas redes sociais, etc.

Espero que aproveite todas essas dicas. Crise? Que crise?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×

Artigos Relacionados

Deixe uma resposta

Seu endereço de email não será publicado.Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>

Facebook

Seja Uma Mulher De Sucesso

Produtos para bebês e crianças 70% mais barato?

0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Google+ 0 0 Flares ×